James McGrath & Bob Bates, “O Pequeno Livro das grandes teorias de Gestão… e de como usá-las”

Capa de "O Pequeno Livro das grandes teorias de Gestão... e de como usá-las", de James McGrath & Bob Bates,Se foram ao Ignite Penafiel, este ano, tiveram oportunidade de me ouvir falar do Tempo (mantenho a promessa de disponibilizar o vídeo, mal tal me seja possível).

Pois é com muito apreço que vejo que os autores de “O pequeno livro das grandes teorias de Gestão… e de como usá-las” valorizarem também aquele que considero que é o nosso recurso mais limitado e irrecuperável.

O desafio da obra, para os autores, foi o de conseguir sintetizar em cerca de 250 palavras cada uma das teorias mais importantes da Gestão e temas relacionados, para não fazer perder tempo ao leitor com floreados e figuras de estilo. Poucas terão sido as vezes em que tal não aconteceu, mas mesmo nesses momentos o livro me pareceu excessivamente longo. Bem pelo contrário, acredito que desperta a curiosidade e o desejo de querer saber mais.

Esta é uma obra que vive da concisão. É o produto da filtragem de muito do que é o lixo dos gurus que pululam como cogumelos pelo sector editorial empresarial e é o produto da síntese mais extrema possível das teorias que mais se destacaram e resistiram ao desgaste do tempo, mantendo ainda o essencial presente.

É um livro que, acrescento, vai servir-me pessoalmente, aqui, no Blogue, para eu incrementar o plano editorial que já tinha previsto, que se tem vindo a demonstrar desde o início do ano de 2015 e que será uma óptima leitura de acompanhamento aos meus posts, onde posso dar-me ao luxo – que os autores não tiveram – de explorar mais calmamente cada um dos tópicos um pouco mais a fundo, pois não tenho os mesmos constrangimentos que eles. O meu único constrangimento é sempre o interesse dos meus leitores, não o papel ou a tinta que poderei estar a gastar.

Se procuram um livro pragmático, voltado para a acção e a aplicação imediata, este é o vosso livro. No fim da análise de cada teoria, os autores deixam sempre uma série de perguntas de reflexão, que vos ajudarão a concretizar a visão abstracta no vosso próprio contexto – que é o que importa, em última instância.

O livro aborda as teorias clássicas da Gestão, da Liderança, da Motivação, mas ainda vai um pouco mais longe, explorando temas como a Gestão de Pessoas, de Mudança, de Qualidade e discute ainda temas como a Análise Organizacional e a relação entre Poder, Influência e Autoridade. Tudo elementos que temos vindo a integrar nos nossos posts – e que depois de ler este trabalho, ainda mais assim acontecerá.

Está bom de ver, claro, que não se trata de uma enciclopédia de Gestão, nem tem pretensão de o ser: é um livro introdutório. Como os próprios autores referem várias vezes, é importante que o leitor vá procurando explorar mais a fundo os temas que lhe suscitam particular interesse, com recurso a outras obras. Aliás, eles próprios dão uma pequena lista de obras, para futura leitura complementa, no fim.

Há também referências pontuais a documentação online. Como nota pessoal, sempre que vejo este tipo de promiscuidade online/offline, penso que estou perante mais um sinal que os livros físicos e os conteúdos digitais começam finalmente a trabalhar em conjunto, em vez de competir – pondo fim a certos feudos, que em nada beneficiam ninguém.

Aliás, a própria maneira auto-referencial como o livro discorre não deixa de me lembrar das vantagens que leitor teria, caso o documento tivesse sido publicado em hipertexto, com tantos redireccionamentos que faz, a cada passo, para várias outras partes da obra.

Não há, pois, qualquer possibilidade de fazer uma síntese melhor que faça total justiça a todos os nomes mencionados num livro de menos de 200 páginas, escrito com uma linguagem directa e até, por vezes, com recortes bem humorados como é o caso. Quanto a isso, não pode haver quaisquer ilusões.

Mas também mais não se podia pedir aos autores, que conseguiram concretizar neste pequeno feito: nele, materializaram um apanhado, um estado-da-arte, de uma série de princípios, ideias, teorias, matrizes que, como diz o dístico da capa parece querer implicar, todos os gestores deve conhecer.

Em cada secção, é escolhida uma teoria-raínha, que coroa a temática daquele capítulo. E no fim do livro, é escolhida uma teoria, que sobre todas as restantes reina – o que traz um carácter lúdico à narrativa: há um concurso discreto que está a decorrer enquanto lemos e vale a pena ver quem ganha, o fim e porquê.

Em meu entender, falta apenas um índice de referências, mas no geral, fiquei bastante bem impressionado pela obra e recomendo-a a quem, como eu, gosta destas temáticas e possa eventualmente necessitar de uma visão horizontal pelo essencial da Gestão e das áreas conexas.

Existe uma página de Facebook para a edição Portuguesa, já agora. Boa leitura.

Se gosta deste tema, aconselhamos:

Capa do livro "L. I. D. E. R. A. R. - Os sete trabalhos do executivo para uma liderança eficaz" de Miguel Pina e Cunha e Arménio RegoMiguel Pina e Cunha & Arménio Rego

L. I. D. E. R. A. R. – Os sete trabalhos do executivo para uma liderança eficaz

Editora Dom Quixote

 

 

Kate Ludeman & Eddie Erlandson: capa do livro "O síndrome do macho alfa"Kate Ludeman & Eddie Erlandson

O Síndrome do Macho Alfa

Editora Harvard Business School Press

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s