Betatalk September, 16 – Zenith Lounge, Hotel Fénix Ipanema, Porto

Betatalk

As Betatalks são tertúlias gratuitas, abertas a todos os interessados, realizadas num espírito descontraído. São sessões informais, sob o lema “Sempre ao dia 16”, em que empreendedores partilham a sua experiência numa espécie de pitch de cerca de 15 minutos.

Organizadas pela Beta-i (uma organização sem fins lucrativos que procura dinamizar o espírito empreendedor, pela partilha de ideias e a criação de ferramentas voltadas para quem deseja desenvolver projectos nesse sentido), a sessão do Porto arrancou por volta da hora combinada (cerca das 18:30), no magnífico espaço do Zenith Lounge, no topo do Hotel Fénix Ipanema.

Zenith Lounge

O encontro foi organizado com a parceria da Tymr.com (lê-se “timer”), a rede social Portuguesa de eventos (um pouco semelhante ao Plancast), que permite descobrir eventos, comprar bilhetes, etc.

tymr

Como não poderia ser mais a propósito, o evento contou com a media-partner Event Point, uma publicação voltada, justamente, para o campo da Organização de Eventos.

Event_point_logo

Mal cheguei e me sentei num dos puffs do lounge, tive o prazer de ser brindado com um par de revistas da Event Point – a versão Portuguesa e um exemplar da primeira versão em Inglês. O tempo estava ameno, a música a condizer e o ambiente estava à propos. As pessoas foram sentando-se e passado algum tempo, a conversa iniciou-se.

O primeiro empreendedor a falar foi José Cardoso, do Portal do Sucesso, uma das mais prestigiadas empresas de formação da nossa área.

José Cardoso contou-nos como é que criou a sua empresa, há 15 anos, em conjunto com Vasco Marques, amigo e ex-colega de faculdade. Foi bastante inspirador ouvi-lo falar de como ele decidiu sair da sua área de conforto e de uma carreira relativamente segura (trabalhava no banco Millennium – ainda este não tinha o “BCP” no nome – começando na caixa e chegando a gerente de balcão) e decidiu abraçar um novo projecto, cheio de incertezas.

Segundo o empreendedor, “motivação” decompõem-se na expressão “motivo para a acção”. Iniciar um projecto requer ter sonhos (que ele distingue dos objectivos, por estes serem concretos, ao passo que aqueles são desejos mais abstractos, mas, ainda assim, importantes), mas salienta que estes dependem também de momentos-chave na vida de cada um, pequenos triggers, gatilhos, que disparam o empreendedor que há em nós.

O seu, curiosamente, foi um pacote de açúcar da Nicola. Lembram-se de quando eles tinham frases a dizer “Um dia…/Hoje é o dia”? Pois bem… até hoje, José Cardoso tem um pacote de açúcar plastificado, na carteira, com a frase “Um dia saio da minha zona de conforto. Hoje é o dia”. Se já ouviram falar das maravilhas que o storytelling tem numa conferência, deviam ter visto o que esta pequena confissão fez na plateia.

Logótipo do Portal do Sucesso

Logótipo do Portal do Sucesso

Pelos vistos, era realmente o momento de José Cardoso. Isto aconteceu num Sábado e na Segunda-feira seguinte ele estava a surpreender tudo e todos, despedindo-se. Claro que isto aconteceu em 2010 e o actual director do Portal do Sucesso não partiu para o vazio. A empresa de formação já existia há dois anos (tendo sido criada em 2008, numa mesa do bar Ryan’s na Ribeira do Porto, com Vasco Marques, o formador-estrela da marca, acompanhados por um par de cervejas e dois cachorros – mais prosaico e Portuense, era difícil).

Vasco Marques, do Portal do Sucesso

Vasco Marques, do Portal do Sucesso

Depois de nos contar esta história, José Cardoso teceu algumas considerações: falou que, apesar da Crise, é possível remar contra a maré negativa. “É preciso semear”, disse ele, salientando o poder que as parcerias dão a uma marca.

Nesse sentido, ele salientou que é importante que os empreendedores não se acanhem, pois por mais pequena que seja a marca, ela pode ter um contributo extremamente valioso para um parceiro que, no seu próprio mercado, seja poderoso e grande. José Cardoso encerrou a sua apresentação mostrando grande fé nos sonhos e no potencial de Portugal.

Tivemos depois uma pequena sessão de Q&A. Das três perguntas que lhe foram feitas, para mim, a mais importante foi aquela em que ele revelou os ingredientes para uma boa parceria. José disse que a confiança mútua era essencial, assim como estabelecer relações em que o win/win está realmente presente. Sublinhou a importância de procurar parceiros disponíveis, mas alertou que nada se consegue sem ousadia.

Depois desta interessante conversa, abriu-se um momento de networking, de cerca de 10/15 minutos. A sessão foi retomada com Hervé Marrinhas, Marketing & Connectivity Coordinator dos próprios Hoteis Fénix.

Hervé Marrinhas, dos Hotéis Fénix, Ipanema Park

Bem disposto, ele confessou-nos que esta era a primeira vez em que se via em tal situação. O que se notou, pelas várias vezes em que se perdeu no discurso e teve de recorrer à sua cábula. Não deixou, no entanto, de ser interessante e um óptimo contraponto para o vento que se ia adensando (o clima é sempre um risco, quando se fazem eventos ao ar livre).

Hervé contou-nos como, vindo de França, entrou em 89 para a cadeia, como vendedor e como ascendeu na hierarquia. Claro que já contava com um MBA, mas foi o talento e o seu empreendedorismo que o levaram onde está hoje.

E, falando de Empreendedorismo, ele abordou o tema de um prisma menos habitual: contou-nos como se pode ser empreendedor, mesmo em áreas já consideradas «velhas», isto é, já estruturadas e aparentemente sem grandes surpresas. Ele contou como é que em 20 dias criou um website, sem quaisquer conhecimentos de webdesign, por tentativas.

Claro que estávamos noutra época, em que não se falava em SEO, nem em nada do que torna tudo tão complexo, por vezes, mas também não tínhamos as facilidades que hoje temos em termos do que se consegue com serviços como o WordPress (dos quais este mesmo blogue usufrui) ou o Joomla.

Numa empresa tecnologicamente atrasada, Hervé conseguiu introduzir toda uma nova cultura, voltada para o futuro e as novas tecnologias, sendo o site, actualmente, responsável por 60% do negócio dos hotéis pelos quais é responsável (ou seja, sensivelmente 2 milhões de vendas).

Ipanema Porto

No entanto, não deixou de criticar o poder que aplicações de viagens e sites de ratings obtiveram nos dias de hoje, denunciando aquilo que acha uma certa «chantagem» destes meios sobre os hoteleiros.

Falou por isso da forma como, mais uma vez, com visão, optaram por desenvolver, no próprio site, um sistema de rating sem censura, criado pelos clientes que estiverem nas próprias instalações.

Hervé referiu que, não obstante as pessoas terem curiosidade mórbida pelo que corre mal – e esse serviço ter causado um impacto negativo inicial bastante acentuado – o facto de se terem voluntariado à exposição de falhas, ineficácias e fragilidades teve, a médio/longo prazo um efeito deveras mais positivo. Isso tornou as críticas negativas menos relevantes, a seu ver, demonstrando vontade da empresa em ouvir os clientes e ser melhor.

Na sequência da capacidade estratégica deste profissional, decidiram ainda criar um vídeo para promover a própria cidade do Porto onde os hotéis (bastante sabiamente) aparecem de forma extremamente subtil – um vídeo que já conta com mais de 74 mil visualizações.

Curiosamente, acabaram por dar um vídeo à cidade do Porto, que não tinha nenhum vídeo institucional. Se me permitem, é assim que se faz Comunicação bem feita. É justamente com esse vídeo que vos deixo, esperando conseguir ir às próximas Betatalks, “sempre ao dia 16”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s